titulo_4.png
05.png

 DANÇAS AFROATLÂNTICAS 

 

CONHEÇA O COLETIVO

O coletivo Danças Afroatlânticas é composto por quatro dançarines e professores, moradores da cidade de São Paulo, especialistas em diferentes ritmos das danças de salão (como forró, samba de gafieira, salsa, tango, milonga, lindy hop e blues). Juntes, pesquisam as origens populares, africanas e indígenas em comum dessas danças praticadas no continente americano. 


O coletivo existe desde 2019, tendo começado como um grupo de estudos e posteriormente adaptando-se para a criação artística. Entre seus objetivos estão dar visibilidade às raízes populares e afro-indígenas das danças de salão praticadas no continente americano e trazer à tona discussões sobre representatividade e acesso a essas expressões culturais, hoje majoritariamente elitizadas.
 

INSTAGRAM: @dancas.afroatlanticas

  NA MOSTRA VOCÊ VÊ  

ESPETÁCULO: Danças Afroatlânticas

ASSISTA AO TEASER AQUI

Ano da produção: 2021

Formato original: Espetáculo em Videodança

Formato na mostra: Transmissão da obra gravada previamente

Duração: 32 minutos

Classificação indicativa: Livre

Sinopse: O que samba, tango, capoeira, forró, jazz, danças dos orixás e funk têm em comum? Neste espetáculo em vídeo-dança, os dançarinos e pesquisadores do coletivo Danças Afroatlânticas trazem à cena elementos ligados às origens africanas e indígenas das danças de salão e das danças populares praticadas no continente americano, buscando responder às perguntas: “o que essas danças têm em comum?” e “o que delas se perdeu ao longo do processo de elitização e embranquecimento?”. Resgate e recriação convivem para compor esse espetáculo vibrante e questionador.

Sobre a Obra: Danças Afroatlânticas é um coletivo que pesquisa as origens populares, afrodiaspóricas e indígenas das danças de salão praticadas no continente americano. O espetáculo de estreia do coletivo tem como objetivo dar visibilidade às raízes populares e afro-indígenas das danças de salão praticadas no continente americano e trazer à tona discussões sobre representatividade e acesso a essas expressões culturais, hoje majoritariamente elitizadas. Além disso, a obra coloca em xeque a organização tradicional da dança de salão, que ainda segue em grande medida a lógica patriarcal do "homem conduz - mulher é conduzida". Ao dançarem entre si, alternando os papeis de condução e celebrando seus corpos e existências como são, os artistas trazem para a obra e para o meio das danças a dois questionamentos da contemporaneidade, como raça, representatividade e papeis atribuídos aos gêneros dentro da dança e da vida.

FICHA TÉCNICA:
Intérpretes-criadores:
Araci Santos
Carlos Henrique Araújo
Mari Franco
Valéria Ramb.

Direção Geral:
Mari Franco.
Direção Artística:
Carlos Henrique Araújo.
Produção:

Letícia Liñeira.
Direção de Fotografia e Operação de Câmera:

Mariana Campos.
Direção de Set e Pós-produção:

Claudia Rossatti
Trilha Sonora:

Guilherme Kafé

Kiko Woiski.
Figurino:

Adélia Wellington

Maria Aparecida Moreira da Silva.
Professores Convidades:

Adriana Nogueira

Alisson Lima

Márcio Greyk
Identidade Visual (Ilustração):

Mariana Fujisawa.
Identidade Visual (Design):

Daniela Miwa Taira.
Edição do Curso Online:

Aline Senzi.
Social Media:

Keyty Medeiros.
Transporte:

Robson Florêncio De Almeida.
Idealização:

Coletivo Danças Afroatlânticas.
Realização:

Programa De Ação Cultural (Proac)

Secretaria De Cultura e Economia Criativa

Governo do Estado de São Paulo.

 ACOMPANHE A TRANSMISSÃO AO VIVO  

 DA OBRA DIA 19/06/21 (SÁBADO), ÀS 19H  

 PELO  YOUTUBE, CLICANDO AQUI :)  

 PARTICIPE DA RODA DE CONVERSA, LOGO APÓS O 

 TÉRMINO DA TRANSMISSÃO DO ESPETÁCULO, COM OS 

 INTÉRPRETES-CRIADORES: ARACI SANTOS, CARLOS  

 ARAÚJO, MARI FRANCO E VALERIA RAMB. 
 MEDIAÇÃO: ANELISE MAYUMI

 NÃO HÁ NECESSIDADE DE INSCRIÇÃO PRÉVIA

 > INGRESSAR NA SALA DO ZOOM < 
 

 QUER CONTINUAR CONHECENDO O COLETIVO E TER  

 ACESSO A INFORMAÇÕES EXCLUSIVAS, FICAR POR DENTRO

 DOS BABADOS E MIMOS DO ENCONTRO? PARTICIPE DO 

 > NOSSO GRUPO DO TELEGRAM <  

REGUA_HORIZONTAL.png